e-Notícias Irroba E-commerce

No e-Notícias você terá acesso a todas as informações sobre e-commerce, no qual foram destaque no mercado.



24/08/2011 14:35:51

Pense muito bem antes de mudar o design de seu e-commerce

A indústria do e-commerce está obcecada por redesign, onde uma coisa é constante – mudanças.

Uma pesquisa feita em 2009 descobriu que mais de 60% de varejistas redesenharam parcialmente ou completamente seus sites naquele ano, e que 67% planejava fazer isso em 2010 – mesmo apesar da situação de economia enfraquecida na época.

É verdade que o design de um site tem uma função de extrema importância na performance de um e-commerce, mas projetos de design de um site podem custar milhares, e até mesmo centenas de milhares de reais.

Varejistas redesenham na esperança de aumentar vendas
Entre os pesquisados, as maiores razões para rever o design de um site era com o intuito de aumentar as vendas e conversão, atrair novos compradores e aumentar os serviços ao consumidor. Para aumentar a usabilidade, o redesign de muitos é focado na reorganização do conteúdo do site (44%), melhorar a navegação e páginas de busca (31%), e aumentar a velocidade no processo de checkout (28%).

Apesar de tudo parecer muito bom na teoria, existem riscos ao mudar demais o site de uma só vez. Quando processos que clientes e visitantes fiéis já conhecem são redesenhados, um novo aprendizado é forçado, mesmo nos menores processos. Isso pode, no mínimo em um curto período, impactar de forma ruim no desempenho do site. Ou, o design poderia simplesmente ter impacto ruim para todos os visitantes, e o desempenho do site sofreria até que tudo fosse realmente “melhorado”.

Baseie-se na opinião do consumidor
Um dos fatores preocupantes sobre o redesign é que 34% dos varejistas citaram o design e os gráficos na home, categorias e páginas de produtos desatualizados uma das maiores desvantagens no design atual de suas lojas. Isso indica que mais de um terço dos varejistas redesenham seu site baseados na intuição de que as vendas aumentariam caso o design fosse mais moderno, ao invés de levarem em conta informações ou sugestões de consumidores. Dos que dizem testar seus sites, apenas 36% faz testes A/B e 19% usa testes multivariados.

Infelizmente, muitos projetos com novos processos e características são agendados para serem lançados “a tempo para datas comemorativas” sem serem testados – a tempo de acabarem com o desempenho das vendas de épocas como Dia das Mães e Natal, por exemplo.

Como evitar problemas ao redesenhar o site
1.Faça pesquisas / testes entre os atuais consumidores para descobrir o que poderia ser melhorado em seu site, e use isso para começar a planejar o redesign, ao invés de fazer um brainstorm interno ou se basear em tendências atuais de design. Não tente consertar o que não está quebrado.

2.Faça mudanças pequenas e incrementais ao invés de uma mudança muito drástica.

3.Execute as mudanças em estágios. Primeiro faça as mudançs voltadas para “novos” visitantes (aqueles cujos cookies você ainda não tem), então faça mudanças para visitantes que retornam, e finalmente para consumidores que retornam (mas avalie muito bem a viabilidade para que essas mudanças sejam executadas e os consumidores continuem a retornar).

4.Não coloque em prática grandes mudanças ou novos processos antes de períodos de muitas vendas. Tenha tempo para testar e medir todas as taxas de conversão (ou se recupere de pequenas quedas) durante épocas de menos vendas.

5.Eduque os consumidores fiéis em relação às novas opções e melhorias do site para que eles continuem a retornar. Use tours ou tutoriais para isso.


Fonte: E-commerce News